Mulheres do Brasil: Artes e artistas

Permanent URI for this collection

Browse

Recent Submissions

Now showing 1 - 14 of 14
  • Publication
    Imagéticas de mim: um olhar sobre a desfiguração da autoimagem na fotografia
    (Publicaciones Enredars / Roma Tre Press, 2023) Jahn, Ursula
    O texto analisa a produção artística do autorretrato fotográfico. Na primeira parte do texto é apresentado brevemente o papel do corpo da mulher ao longo da história da arte até a atualidade, fazendo uma introdução sobre o assunto, sobre a origem do recorte de gênero na historiografia da arte e o uso da auto representação como forma de retomar a propriedade da imagem da mulher. A segunda parte tem como base o entendimento do fotógrafo e teórico espanhol Joan Fontcuberta sobre a estética do vampiro na fotografia e a criação de identidades. Na terceira parte são analisadas as representações visuais de estereótipos relativos à feminilidade. Posterior a isso, a última parte aborda a desfiguração da autoimagem como uma estratégia de atentar para crueldade da construção estereotipada de um ideal de beleza feminina.
  • Publication
    Interpelaciones al circuito artístico de la Casa Grande: arte afrobrasileño, arte feminista y prácticas artísticas realizadas por mujeres y cuerpos fluidos
    (Publicaciones Enredars / Roma Tre Press, 2023) Marugán Ricart, Paola María
    Desde la llegada de la Misión Artística Francesa a Río de Janeiro (1816) hasta la Semana de Arte Moderno (1922) y la inauguración de la primera edición de la Bienal de São Paulo (1951), una gran parte de la producción artística y sus instituciones desarrollaron discursos de amestizamiento, a partir de estrategias de desidentificación de las experiencias de subjetividad múltiples del país, con el propósito de sostener la imagen de un Brasil sem linha de cor y sus respectivos privilegios. El presente artículo tiene como objetivo elaborar una reflexión en torno a las discusiones que artistas, investigadoras, curadoras, historiadoras y críticas están actualmente llevando a cabo acerca de las problemáticas inscritas en dicho proceso de amestizamiento, orientado según las lógicas del canon moderno-colonial del arte y el mito fundacional de la democracia racial.
  • Publication
    Silenciamento e violência no cinema e na literatura: as personagens femininas em Lavoura Arcaica
    (Publicaciones Enredars / Roma Tre Press, 2023) Prates Oliveira, Renato César; Côrtes Miguel, Fernanda Valim
    O capítulo apresenta parte dos resultados de uma pesquisa de mestrado que consistiu no estudo e na análise comparativa entre o romance Lavoura Arcaica (1975), de Raduan Nassar, e o filme homônimo (2001), dirigido por Luiz Fernando Carvalho, a partir de problematizações sobre as representações da violência de gênero na literatura e no cinema. O objetivo do estudo foi investigar a questão do silenciamento de personagens femininas, identificando as estratégias narrativas adotadas em cada caso a partir da figura de um narrador ambíguo e melancólico, que poderia ser colocado sob suspeita a todo o momento do relato. As análises e leituras realizadas apontaram para uma construção ambivalente do ponto de vista narrativo, tanto no filme como no romance e fomentaram reflexões sobre os processos de violência ainda muito presentes na sociedade brasileira contemporânea.
  • Publication
    Mulheres na literatura brasileira: o corpo como território de memória em Ponciá Vicêncio
    (Publicaciones Enredars / Rome Tre Press, 2023) Côrtes Miguel, Fernanda Valim
    O propósito do capítulo é apresentar uma leitura crítica do romance Ponciá Vicêncio (2003), de Conceição Evaristo, mostrando como é construída, pela linguagem, a relação entre memória, corpo e violência. O romance descreve a trajetória de Ponciá Vicêncio desde sua infância até a idade adulta, revelando, com intensa força poética, suas percepções de mundo, seus sonhos e desencantos, suas relações afetivas e seus envolvimentos familiares. Em nossa análise, procuramos apontar para o modo como o narrador cria uma visão empática em reação à personagem protagonista, mulher negra e periférica, e sua história de vida; como a violência social e de gênero nos é apresentada; como a voz narrativa constrói uma relação fragmentária e não linear entre passado e presente e futuro; como o romance discute a questão identitária, a herança cultural e a relação que podemos estabelecer entre a narrativa, nosso passado de escravidão colonial e reflexões sobre a sociedade brasileira contemporânea.
  • Publication
    O espaço delas: uma visada feminista sobre as artistas que participaram das edições tridimensionais do Panorama de Arte Atual Brasileira do MAM-SP (1972-1991)
    (Publicaciones Enredars / Roma Tre Press, 2023) Sampaio Ferraz, Tatiana
    Sob uma visita da crítica feminista, o ensaio busca investigar a presença de artistas mulheres nas edições do Panorama de Arte Atual Brasileira (um programa realizado pelo Museu de Arte Moderna de São Paulo) dedicadas ao campo tridimensional, realizadas entre 1972 e 1991. A ideia foi compreender como a justaposição de dois indicadores – o de gênero e o da linguagem artística – produziu um campo de obliteração generificado, raramente abordado pela historiografia da arte. Para tanto, fez-se um vasto diagnóstico sobre a participação delas nas mostras, com comparações por gênero, geração, naturalidade e premiação. A pesquisa também procurou identificar certas formalizações e filiações nas obras apresentadas por elas, assumindo que tais escolhas nunca são neutras nem desconectadas do ambiente cultural que produz subjetividades na esfera pública.
  • Publication
    Aquí Existo: Visibilidad Arte y Feminismo
    (Publicaciones Enredars / Roma Tre Press, 2023) Oliva Barboza, Patricia
    Abordar la invisibilidad en las artes implica forzosamente referirse al arte feminista, aunque en esta oportunidad la reflexión y el interés se centrará en potenciar el significado que tiene la construcción de los recuentos propios. Si no escribimos y recuperamos “pero ya y desde ya”, todo lo que vaya ocurriendo y/o emergiendo como expresión y práctica artística seguirá siendo inexistente para la historia. Pero no solo eso, si no lo hacemos, la historia siempre estará conformada por un arte privilegiado, heteropatriarcal dominante. Por otra parte, el texto tiene la intención de abrir el debate sin llegar necesariamente a afirmaciones, cuestionando los propósitos del arte, en un mundo cada vez más violento, ello a su vez permite comprender porqué durante la historia del arte se privilegian ciertas expresiones, ciertos(as) artistas y “prácticamente” se anula la existencia de otros(as). Esas otredades han quedado y quedarán borradas de la historia, es urgente una intervención inmediata.
  • Publication
    Raízes e frutos: a atuação feminina no mundo do samba (c. 1900 - c. 2020)
    (Publicaciones Enredars / Roma Tre Press, 2023) Gomes Coelho, Bruna Aparecida
    Na historiografia produzida sobre o samba, as mulheres costumavam aparecer em segundo plano. Essa tendência tem se alterado, o que muito se deve às novas pesquisas que discutem a atuação feminina no universo do samba. Neste texto discutimos o protagonismo das mulheres nas origens do samba, assim como em seu desenvolvimento ao longo do século XX, e refletimos sobre a atual situação das mulheres no mundo do samba. Há um apagamento do protagonismo feminino na memória sobre os processos que ajudaram a criar e moldar este importante universo cultural. Contudo, após anos de luta dessas mulheres por reconhecimento enquanto profissionais da música em seus diversos segmentos (cantoras, compositoras, percussionistas, instrumentistas), observa-se que hoje as sambistas conseguem ampliar suas vozes de tal modo que não poderão mais ser silenciadas.
  • Publication
    Insurgências e resistências no fazer artístico educativo de Raquel Trindade, a Kambinda
    (Publicaciones Enredars / Roma Tre Press, 2023) Sardelich, Maria Emilia; Silva dos Santos, Cicera Edvânia
    Este artigo tem por objetivo apresentar o trabalho artístico educativo de Raquel Trindade (1936-2018), a Kambinda. Sua obra considera o caráter multirracial e multicultural da sociedade brasileira, agregando corpos dançantes, exercitando contra condutas, outra forma de se posicionar no mundo, outra forma de se relacionar consigo mesmo e com os outros. Sua abordagem contra hegemônica tornou visível a naturalização das relações desiguais entre brancos e negros, homens e mulheres, ricos e pobres. É uma experiência artística e educativa que se gesta no fluxo memorativo entre África-Brasil, que funde uma diversidade de culturas de um pensamento milenar apurado, em que se originam cosmogonias, universos simbólicos e sistemas de comunicação cujas linguagens e valores organizam comunidades.
  • Publication
    Uma mestra pintora e douradora em São Paulo no século XIX
    (Publicaciones Enredars / Roma Tre Press, 2023) dos Santos Pereira, Danielle Manoel
    A historiografia do período colonial e início do imperial em São Paulo perpetuou o ideário de que a rotina das mulheres se situava no contexto das atividades domésticas e familiares, entretanto algumas mulheres foram além desse estereótipo e, uma delas ousou ser diferente no cenário artístico. Quem foi a mulher que recebeu o designativo qualitativo de “Mestre pintoira” ou “mestre doiradoura”? Quem era Miquelina Constância das Chagas e quais atividades desenvolveu? Para quais irmandades trabalhou? A circulação dos pintores mais influentes já foi traçada, mas Miquelina ficou esquecida, foi apagada da história, agora seu nome ecoa nas igrejas coloniais em São Paulo e merece ser lembrado e sua coragem aplaudida. A tentativa de esboçar a trajetória da “mestra” e empreiteira do barroco paulistano é um resgate necessário para se processar uma revisão da história da arte.
  • Publication
    As mulheres nas artes da América Portuguesa: indígenas pintoras da região do Baixo Amazonas no Pará
    (Publicaciones Enredars / Roma Tre Press, 2023) Rüegger Saldanha, Ana Livia; de Almeida Martins, Renata Maria
    Em vista de contribuir para dar maior visibilidade ao tema das atividades artísticas das mulheres indígenas,1 na América Portuguesa, neste texto será apresentado um levantamento e uma análise de alguns relatos históricos da época da colonização — basicamente, crônicas de viajantes e jesuítas —, relacionando esses documentos com objetos artísticos reunidos pelo naturalista Alexandre Rodrigues Ferreira durante a Viagem Filosófica na Amazônia (1783-1792), existentes em acervos portugueses2. Para isso, será estudado o caso da produção de tintas e vernizes, e a preparação e decoração de cuias, pelas mulheres ameríndias pintoras da região do Baixo Amazonas, sobretudo, da Aldeia de Gurupatuba, atual Monte Alegre no Pará
  • Publication
    Sibilas do Tijuco: a centralidade das profetisas seculares na arte colonial
    (Publicaciones Enredars / Roma Tre Press, 2023) Almeida Orlando Magnani, Maria Cláudia
    Este trabalho apresenta a peculiaridade da representação das sibilas na arte colonial de Diamantina, Minas Gerais. Sendo as únicas representações das profetisas na colônia, elas estão contornadas por estruturas de falsa arquitetura inspiradas em Andrea Pozzo e apresentam uma centralidade incomum e única no mundo. Segundo Joyce Lussu toda a cultura hegemônica teve que prestar contas à sibila, manipulá-la e deformá-la e ainda assim não a conseguiu suprimir. Nestas representações tão características, reafirma-se a dimensão multicultural do mito feminino que faz o elo entre o divino e o humano, com importância confirmada pelas suas dimensões e centralidade, além da sofisticação das estruturas de quadratura.
  • Publication
    Sim, eu sou uma Artista
    (Publicaciones Enredars / Roma Tre Press, 2023) Santos Ferreira, Maria de Lourdes; Barroso Queiroz Lima, Josélia
    O presente texto tem como objetivo refletir sobre a trajetória de um fazer artístico contado através do barro, ao longo da história de uma família de artistas, no Vale do Jequitinhonha, Minas Gerais, Brasil. O texto está organizado em três tópicos: em um primeiro momento, apresenta-se uma contextualização do Vale, buscando historicizar brevemente alguns elementos que contribuem para a sua identidade regional; em seguida, enfoca-se a entrevista com Andreia Andrade, artista ceramista e neta de uma das mais conhecidas artistas do Vale do Jequitinhonha, Izabel Mendes da Cunha. Para finalizar, será apresentada uma reflexão acerca da cerâmica no Vale sob diferentes óticas, principalmente do ponto de vista da identidade de gênero, como expressão da mulheridade, como uma arte prioritariamente feminina.
  • Publication
    Apresentação
    (Publicaciones Enredars / Roma Tre Press, 2023) Almeida Orlando Magnani, Maria Cláudia; Santos Ferreira, Maria de Lourdes
    Presentación. As pesquisas feministas em história da arte têm procurado revalorizar a produção das mulheres, o seu papel na produção artística nessa realidade de consideráveis transformações e de multiplicidade cultural e reescrever essas histórias de invisibilidade e apagamento marcadas pela tradição canônica. A invisibilização dessas manifestações artísticas constitui uma lacuna que marcou e marca, fortemente, a exclusão das mulheres, especialmente aquelas que não se encaixam no estereótipo eleito “naturalmente” para ter projeção social, por representar o modelo eurocêntrico: ser branca, pertencer às classes econômicas privilegiadas e (re)produzir o fazer artístico consagrado dos grandes nomes da cultura europeia.
  • Publication
    Mulheres do Brasil: Artes e Artistas
    (Publicaciones Enredars / Roma Tre Press, 2023) Almeida Orlando Magnani, Maria Cláudia, coord.; Santos Ferreira, Maria de Lourdes, coord.
    As pesquisas feministas em história da arte têm procurado revalorizar a produção das mulheres, o seu papel na produção artística nessa realidade de consideráveis transformações e de multiplicidade cultural e reescrever essas histórias de invisibilidade e apagamento marcadas pela tradição canônica. A invisibilização dessas manifestações artísticas constitui uma lacuna que marcou e marca, fortemente, a exclusão das mulheres, especialmente aquelas que não se encaixam no estereótipo eleito “naturalmente” para ter projeção social, por representar o modelo eurocêntrico: ser branca, pertencer às classes econômicas privilegiadas e (re)produzir o fazer artístico consagrado dos grandes nomes da cultura europeia. Buscando contribuir com a diminuição dessa lacuna, este volume dedica-se a estudos que problematizam essa revisão de universalidade, contribuindo para a construção de novas histórias das artes que enfoquem as mulheres como protagonistas do fazer artístico, seja como representadas, seja como artistas.